O que é a henna?

Basicamente, henna (cujo nome científico é Lawsonia Inermes) é uma planta. Suas folhas contem um pigmento natural, o Lawsone, que tem coloração cobre. Sim, a henna pura é cobre (e não preta, como você deve pensar por já ter ouvido em “henna pra sobrancelha” ou hennê).

Quando a henna entra em contato com ácido, o pigmento dela é liberado. Quando aplicada nos cabelos, as moléculas do lawsone conseguem atravessar a cutícula do cabelo e se fixar nele. Mais especificamente, a henna (vamos aqui substituir o nome do pigmento, lawsone, pelo nome do produto em si) interage com a queratina dos fios do cabelo. Aí está o grande “trunfo” da henna: ela tem afinidade com queratina. A maioria da queratina encontrada nos nossos fios fica na camada do córtex do cabelo, junto com a melanina. Pra entender:

Untitled-2 hairdiagramh1ax

Com essa pequena introdução conseguimos entender porque é preciso que a henna seja preparada com algum ácido. Essa “preparação” é conhecida por muitas ruivas como receita, contendo variações na quantidade de henna e líquidos para atingir diferentes tons no cabelo, além da opção de adicionar alguns temperos (também naturais).

Mais química para curiosxs e para entender melhor

A henna começou a ser muito utilizada pelas ruivas pra tingir o cabelo principalmente porque desbota bem pouco. O motivo desse desbotamento quase não ocorrer é a ligação química entre a henna e a queratina, que apresenta uma estrutura muito estável. Isso também faz com que a retirada da henna nos cabelos seja muuuuito difícil. Alguns óleos (e produtos que os contém) podem desbotar a henna dos cabelos, por conseguirem penetrar no córtex dos fios (lembram da figurinha ali em cima?), mas a retirada completa dela é muito difícil.

FONTES: Henna for hair

The chemistry of henna

A henna e suas curiosidades físico-químicas (do blog Além do Lab)

Anúncios